Follow by Email

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Portal 12-12 - O Portal da Verdade

Portal 12:12 – O Portal da Verdade

Aruanda

 E eis que está prestes a ser aberto, em 12/12/2015, o Portal da Verdade. Um quantum de Luz extraordinário banhará o planeta a fim de impulsionar os Buscadores a serem mais fieis ao que lhes fascina.

Temos dito durante um longo tempo para que vocês sigam o que os fascina e abandonem o que lhes causa tédio e isso não é por mera diversão, ainda que gostemos muito de nos divertir; a razão é que com o prazer, tudo fica mais bonito e fácil de ser feito. Vocês repetem o que dizemos amiúde, mas notamos uma distância considerável entre o que falam e o que fazem. Então, Amadas Crianças, chegou o momento de aproximarem verdadeiramente essas atitudes.

O verbo da tônica que rege o momento é: Repensar. Repensem quem são. Repensem onde estão. Repensem o que estão fazendo. Repensem suas relações. Repensem suas profissões. Repensem suas posturas. Repensem suas convicções. Repensem inclusive se desejam continuar existindo na Terra. Repensem toda a ilusão ou realidade que criaram e vejam se isso condiz à sua verdade interna, àquele contexto do qual vocês realmente são incapazes de fugir porque reflete exatamente o que são e o que querem.

E como a reforma no planeta é geral, toda reforma pressupõe bagunça, desordem, perda, caos. A Lei do Caos imperará em todas as instâncias efetivando falências, desmoronamentos, quedas, situações desagradáveis e até trágicas. O que não é novidade para vocês, já que têm vivido momentos turbulentos que causam insegurança e medo. O que fazer para atenuar os efeitos dessa balburdia? Criem seu ponto de paz (é dentro, e não fora), sintam todas as emoções que venham à tona e não se entreguem ao desespero. Caso contrário, só agravarão as coisas para si mesmos.

O tempo do faz-de-conta no quesito existir acabou. Examinem se há mais concordância ou discordância com as religiões, filosofias, partidos políticos, grupos, relações, condições, trabalhos, estudos ou o que quer que seja em que estejam inseridos. Havendo mais concordância, permaneçam mais um tempo, já que tudo passa inexoravelmente. Havendo mais discordância, tenham a dignidade de botar a mochila nas costas e ganhar o Universo que os espera com presentes que farão sua alma realmente viver em estado perene de festa.

Se esse estado é possível? Claro que é. Olhem bem para nós.

Não há mais tempo para continuarem batendo de frente ou dando murro em ponta de faca. Seus maiores opositores são vocês mesmos quando traem seus propósitos mais sinceros. Quando o nosso amigo, O Cristo, disse “Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará”, referiu-se à verdade interna de cada um, porque só a alma conhece realmente o seu “plano de voo”. E se segue sem medo aquilo que a faz reverberar com o Eterno Orgasmo do Pai Cósmico e da Mãe Divina, descobre-se livre e feliz.

E por falar em voo, façam ressurgir suas asas. Se não o fizerem espontaneamente, saibam que nessa enxurrada de Fótons o processo evolutivo é compulsório e assim será pelos próximos 2160 anos, até entramos novamente na conhecida Noite Galáctica. Será inevitável saltar para o abismo e receber O Presente da Grande Águia, o poder de voar pelos seus próprios méritos e magia pessoal. Em certos casos, daremos um empurrãozinho e fiquem espertos: quanto mais resistirem à libertação, maior será o susto durante a queda livre. Então, sejam inteligentes e assumam sua condição de Homens e Mulheres-Pássaros.

O Portal da Verdade é apenas um marco. Muitos de vocês já estão vivendo o poder dessa revolução que já começou há algum tempo e não tem hora para acabar. Sigam realmente o que lhes fascina.

Que a Cultura Galáctica e a Cultura Xamânica venham em paz!

Barra do Pojuca, 25 de novembro de 2015, 5:00. Lua Cheia.


sábado, 8 de junho de 2013

Canção da Vida e da Morte

Hoje acordei cedo
Preparei a comida do meu povo
Rezei com quem amo
Comi e bebi com quem amo
Cuidei dos meus bichos
Das minhas plantas
Mandei notícias para o mundo
Limpei a casa
Fui para o mato
Descalço...
Senti nas solas nos meus pés lentos
Cada pedrinha
Cada grão de areia
Cada gota de orvalho que se abrigava no capim
E pisei miudinho
Para reconhecer cada milímetro do caminho
Senti o sol banhando minha pele macia
Meu corpo bonito
Minha alma que voa.
Eu me senti pleno
Completo
E ao mesmo tempo em que ratifiquei meu amor pela vida
Concluí que poderia muito bem morrer hoje
E morreria bem
Com a certeza de que nada ficou pela metade.
A satisfação na vida não tem necessariamente a ver com uma missão grandiosa
O maior desafio é o cotidiano
E o que me contenta
É saber que posso encará-lo com meu sorriso verdadeiramente estampado na cara
Cantando para a vida e para a morte
Que sempre serão uma e a mesma coisa.

sexta-feira, 26 de abril de 2013

Minha Cozinha




Minha cozinha tem cheiro de alho e de oliva
Tem cheiro de cebola refogada com pimentões de todas as cores.
Tem cheiro de fritura gostosa que atiça meu tesão
E há quem diga que fritura faz mal
Que me importa? – Morrerei ainda que evite o tanto de sal que gosto.
Minha cozinha tem cheiro de pasta e de ciência   
De azeite e leite de coco
Tem cheiro de arroz e da água dele saltando pela panela tampada
Quando o ponto de ebulição está alteradíssimo
Tem cheiro de manjericão, shoyo, cumplicidade
E do orégano que eu fumava buscando a onda da cannabis
Minha cozinha tem cheiro de manga
E de minha saliva lambuzada sobre a fruta
Minha cozinha tem cheiro de lentilha cozida
E do creme de leite que me engorda e me faz gozar
Ah! Tem também cheiro de sexo
Como não?
Porque eu, minha mulher e meus filhos cozinhamos
para que todos gozemos
Cozinhar e comer é copular, alquimizar
Minha cozinha tem cheiro de cidreira, anis estrelado, camomila e calma
Cheiro de sene e intestinos agradecidos
de cappuccino, canela e conforto
de pitanga, limão, alecrim e pureza
Minha cozinha tem cheiro de hortelã e estudo
Minha cozinha tem cheiro de café, de pão de milho assado, de leite, iogurte, bolacha e de comunidade
Cheiro de manteiga e peido
De suor e xoxota
De tempo e pica
De colo e cu
Minha cozinha tem cheiro de cupuaçu, graviola e exotismo
E dos abacates polpudos com os quais me empanturro quando meu emocional sucumbe
E meu imunológico vai junto.
Minha cozinha tem cheiro de salsa, de repolho, couve-flor e companheirismo
Tem cheiro de mostarda e saudade
E do vinho que me faz rir até me dobrar
Minha cozinha tem cheiro de chocolate e riqueza
Tem cheiro de feijão de todas as cores também
Cheiro de sagu e grão de bico pra gente ficar feliz
Cheiro de soja, carimã e aventura
Minha cozinha tem cheiro de farinha de trigo e filosofia
De açúcar e melancolia
De capim santo, brócolis, gengibre e terapia.
De compreensão ,descompasso e castanha-do-Pará
Minha cozinha tem cheiro de política e de conversa
Tem cheiro de felicidade e desventura
Tem cheiro de aveia, granola, castanha, amendoim, milho, tapioca, aipim, inhame e mandioquinha
Minha cozinha tem cheiro de beterraba ,glóbulos vermelhos e música
Tem cheiro da fumaça do cachimbo de Pai Francisco e de desespero
Minha cozinha tem cheiro de tomate, cinema e perdição
Minha cozinha tem cheiro de teatro, abóbora e carruagem
De maçã e veneno
De couve-flor e primavera; de cenoura e coelho...
De amanhecer e sereno.
Cheiro de provolone e encantaria
Cheiro de espinafre e de Popeye
Cheiro de Amor e de Poesia.

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Luiz e Patrícia

Uma das coisas que mais gosto dentro da minha condição de Praticante do Xamanismo e da Wicca é a Arte de celebrar a União de Dois Seres que se Amam. Já casei meninas com meninos, meninos com meninos e meninas com meninas e sempre me emociono profundamente em cada ritual. Embora haja uma prática ritualística padrão, é impressionante como cada celebração ganha o molde dos nubentes.

Pois é, ontem casei duas pessoas que amo. Minha irmã Paty e meu mano Luiz. Sempre faço essa ritualística com minha companheira Maci, mas infelizmente ela não pôde estar conosco e embora eu estivesse saudoso de sua companhia, levei comigo sua energia e tudo correu muito bem. A festa foi completa porque revi um monte de gente que também amo: Lêda, Bento, Milly, Alexandre, Carol, Suca, Mile, Beto, Marina, Lory, Camila e Pimpolhos, Percon, Rose, Mara e onde reinam o amor e a amizade, reinam a alegria e a paz.

O dia foi perfeito: um monte de gente boa, papo solto e divertido, caruru dos Deuses, fartura afetiva e gastronômica além do grandioso mar de Ondina a nos baforar sua brisa gostosa. Durante o processo, enquanto eu refletia sobre o que estava acontecendo, pensei em mim, em Paty e em Luiz, pensei no amor e na amizade que nos une e me senti orgulhoso por fazer parte desse novo começo.

Conheço Paty há 25 anos. Namoramos na adolescência e com o final do ciclo de namoro, mantivemos o amor fraterno que nos une. Desde então venho acompanhando sua trajetória e vice-versa: amores, desafetos, conquistas, vitórias, perdas, alegrias, "impressões, memórias e desventuras".Conheço Luiz há pouco tempo (e no nosso caso, tempo não é parâmetro), mas desde o momento em que o abracei, senti que era um Homem Bom, que era meu irmão e que amaria e cuidaria bem da minha irmã. E a Andança seguiu destino, entre alegrias e tristezas, temos caminhado, temos nos apoiado e celebrado nossas conquistas e instantes.

Quando me vi diante desses dois Deuses, perante um Altar de Amor tão singelo, tão sublime, enchi-me de júbilo e o que mais me tocou foi perceber a força desse Amor nos olhos de ambos quando se fitaram nos momentos cruciais da cerimônia. Vi um Homem e uma Mulher corajosos, dispostos a lidar com suas próprias luzes e trevas. Vi um Homem e uma Mulher sensíveis, capazes de se comoverem com a sutileza dos próprios sonhos e com o Amor Incondicional que nutrem um pelo outro. Vi um Homem e uma Mulher poderosos, porque conseguiram reinventar a vida e criar um novo ninho de possibilidades.

Água, Fogo, Ar e Terra - Purificação, Transformação, Sonho e Morte. Mais um ciclo se cumpre. Uma nova história começa e que a Deusa e o Deus abençoem esse casal e seus frutos (o que já existe e o que virá). Certo dia, ainda quando imaginava que seria um sacerdote católico, profetizei que celebraria o casamento de minha grande amiga. Hoje meus irmãos me reconhecem como Xamã e Bruxo e a Profecia se cumpriu. Viva o Amor! Viva Luiz e Patrícia!

domingo, 9 de dezembro de 2012

Eis que Alcione se transforma em Órion

Pois é, você que me lê, surpresa "sempre há de pintar por aí". Aos 21 dias de vida de Alcione, descobrimos finalmente seu sexo: masculino. Sendo assim nosso bebê deixa de ser Alcione e torna-se Órion, afinal tudo é estrela e brilha. E tem mais: pouco importa o sexo dele; importa o ser e é esse ser que amamos e é desse ser que cuidamos e é com esse ser que temos alegrias e aflições diárias. Que isso valha também para nossos irmãos humanos.

Cada dia temos observado nosso gatinho crescendo em beleza e inteligência. Seu apetite tem aumentado consideravelmente e seu funcionamento intestinal está cada vez melhor.

O que mais me encanta nele é a forma intensa com que olha para nós e a maneira que se entrega aos nossos carinhos e reclama quando temos que depositá-lo em seu cesto particular porque temos algum afazer. 

Daqui a uma semana, começaremos o desmame (do leite especial) e iniciaremos o contato dele com a ração para filhotes. A substituição será feita paulatinamente até o momento em que ele queira apenas se alimentar da ração e dê passos mais significativos na consolidação da sua independência. 

O relógio biológico dele é fantástico: Todos os dias, às 05h30, ele me acorda miando desesperado para tomar a mamada e ainda que às vezes eu o alimente um pouco cansado, pois desejaria dormir mais, quando o vejo mamando e olhando para mim com aquela energia de amor e gratidão, me desmancho todo e agradeço a mim e ao universo por essa rica oportunidade de tê-lo acolhido. Servir é bom e eu gosto.

Até a ´próxima!

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Sobre Deus

No costurar de cada ponto de um corte
Na equação precisa das empadas
Na tessitura matemática de um texto
Na incongruência sistemática da paixão
Na busca incessante pela entorpecência
Está o Átomo.

Na imprevisibilidade alucinante da aurora
Na crueldade subjacente das vítimas
Na potência traumática dos algozes
Na função pedagógica da dor
No alívio mortal do crepúsculo
Está o Átomo.

Na loucura mística dos cientistas
Na exatidão do pulo felino
Na desordem homérica do trânsito
Na claridade torturante da verdade
Na lógica obsessiva dos místicos
Está o Átomo.

No êxtase pagão das virgens
Na santidade cristã das putas
Nos membros eretos dos garanhões
Na voz maviosa dos eunucos
Na multidimensionalidade genérica
Está o Átomo.

Na revanche esperada dos oprimidos
Na queda sonhada dos opressores
Na caduquice inexorável de toda revolução
Na vanguarda dos novos motins
No ciclo interminável da glória e do fracasso
Está o Átomo.

Na cosmogonia psicodélica de Lúcifer
No autoritarismo abusivo de Jeová
Nas renúncias manipuladoras de Merlim
Na devoção ensandecida de Morgana
Na mensagem imensurável de Exu
Está o Átomo.

No Ebó
Na Hóstia
Na Torá
No Corão
No Sabá
No Johrei
Na Unção
Na Sutra
No Vibuthi
No Oaska
Está o Átomo


No ego ferido de Salomé
Na cabeça cortada de João
Na loucura apaixonante do Cristo
No vaso de alabastro de Maria Madalena
Na ponta da língua de Einstein
Está o Átomo
E neste
Deus se senta
De cócoras.


segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Celebração

Celebremos todos os Orgasmos
Banquetes
E Cachoeiras
Restituamos a Sacralidade do Sexo
e o Princípio do Prazer
Meu Templo é minha Cama.
Meu Culto, meu Coito;
Meu Deus, Minha Deusa - As entranhas que me abrigam,
Onde me alojo.

Celebremos pois todo Gozo
A Festa Cósmica bate à porta
E a Era da Dor termina
O Fim antecede o novo Começo
O Caos, a Nova Ordem
É tempo de Enlouquecermos
É tempo de Liberdade.