Follow by Email

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Mineradoras em Barra do Pojuca - II


As chuvas continuam. As caçambas continuam e nós, trilhando outros caminhos. Obstáculos surgem para que nos acomodemos com os mesmos ou os superemos. Preferi superá-los - penso que seja a opção mais inteligente.
A própria natureza ou o Universo, sei lá, começa a sinalizar para nossos antagonistas o tamanho do estrago que eles estão causando em nossas vidas e no ambiente. Caçambas têm quebrado e atolado. Nem mais elas podem com o caos que elas mesmas criaram. A ganância dos patrões se mostra maior do que o ser e alguns empregados mais dignos começam a se rebelar e bater em retirada.
Enquanto uma caçamba quebrada impedia o tráfego de dezenas de outras, eu e amigos percorríamos novas rotas e descobrimos uma de fuga - Finda-se nosso isolamento!
São mais dez quilômetros que temos a percorrer e a estrada não é lá essas coisas, mas tem uma paisagem soberana, lugares intocados pelo "bicho homem", eucaliptos, vegetação nativa, outros paraísos.
Chegamos a Barra do Pojuca, sãos e salvos, e o congestionamento na Rua da Rodagem continuava. Viver é encarar a dor, reconhecê-la e saná-la - e quando isso é feito com um toque de criatividade, fica bem engraçado.

Um comentário:

  1. Tô vibrando por vcs. Tomara que essa (des)aventura termine com final feliz.
    bj

    ResponderExcluir