Follow by Email

domingo, 13 de março de 2011

Sete Ciganos - 49




CAPÍTULO 4 – SÂMIA

Nazaré.

Antes de a noite cair, nossos amigos chegam a Nazaré. Passam pelo Hospital Gonçalves Martins, pela Rádio Clube e vão adentrando na cidade. Ao passarem pelo Fórum Edgar Mata, Sofia se encanta com o sobrado e depois se maravilha ainda mais com o Centro Comercial, que outrora foi Estação Ferroviária.
Prosseguem seu tour pela Terra Morena e veem a Feira Livre e outros sobrados bonitos do lugar, como o dos Arcos. Passam pela Matriz, na Praça Municipal e pela Prefeitura. Vão pela Avenida D. Pedro II e o velho cigano logo percebe que é uma cidade de comércio inexpressivo, bem diferente da última em que estiveram, mas o novo lugar tem seus encantos – só precisam ser descobertos.
Atravessam a Ponte da Conceição e pegam a Rua Dr. Aurélio Miranda, subindo uma ladeira. Viram à esquerda, passam pelo Colégio Estadual Dr. José Marcelino de Souza e seguem até outra pista que vai dar para a Costa do Dendê.
Shalom vê uma churrascaria e pousada chamada “O Pára-choque do Trevo”:
- Estou faminto. Vamos comer alguma coisa aqui?
- Vamos – responde a cigana.
Eles estacionam e Pedro faz o mesmo.
Saltam dos carros e ocupam uma mesa:
- Gostei desse lugar! – Exclama Pedro olhando tudo – é grande e arejado, além de bonito, é claro.
- Podemos nos hospedar aqui – sugere Sofia.
- Hospedem-se vocês. Vou ficar em minha barraca.
- Para que isso, cigano? – Questiona Shalom – Temos dinheiro.
- Não se trata de dinheiro, irmão. É que me acostumei em acampar e aqui, pelo que vejo, há uma área boa para eu montar minha tenda.
- Faça como quiser, amigo – fala Sofia. – Vamos ficar por aqui e quando você quiser um banho ou qualquer outra coisa, terá nosso quarto à sua disposição.
- Obrigado, cigana!

2 comentários:

  1. Velho Pedro gosta de manter as tradições - Que bom, Aruanda! Já estava farta desses ciganos hospedados em hotéis kkkkkkkkkk!!!!!

    ResponderExcluir