Follow by Email

sábado, 5 de junho de 2010

Superações Biológicas - Estudo Dramático do Capítulo 44 de A Grande Síntese

Ver imagem em tamanho grande

Concepção: Maci Barbosa

Texto: Antonio Aruanda

PERSONAGENS:

SUA VOZ – JAIRON

NARRADORA – SONIA

VÍTIMA DA CHUVA – JAILTON

VITIMA DE TERREMOTO – MARINICE

CATÓLICA FERVOROSA – ALVIM

PASSAGEIRA DE AVIÃO - MARILENE

DESEMPREGADA - CELUTA

VICIADA EM CRACK - SORAYA

CENA 1 – VÍTIMA DA CHUVA

MÚSICA 2: RÉVEIL – entra a vitima da chuva preocupada.

NARRADORA – Arnaldo é pai de família, faz transporte escolar, é um homem antenado em causas sociais e ecológicas. Em virtude das fortes chuvas, grandes crateras se formaram nas ruas e numa delas seu automóvel caiu. O estrago foi grande – perda total. Felizmente nosso amigo não teve ferimentos graves, mas está aflito com o infortúnio que lhe aconteceu...

ARNALDO: Meu Deus! O que é que vou fazer agora? Meu carro era meu único meio de vida. O transporte escolar garantia meu ganha-pão e além de pagar todas as contas, ainda sobrava alguma coisa para o “desfrute”. E agora, como é que vai ser? Por que isso foi acontecer logo comigo? O que foi que eu fiz para merecer isso? Justo eu que não faço mal a ninguém, que ajudo no sopão da Baixa dos Sapateiros, que distribuo pão toda terça-feira na Piedade, que vou ao Bonfim toda sexta, que ajudo o Hospital do Câncer, Criança Esperança e ainda sou associado do Greenpeace... Por que, meu Deus?! Por quê? Por que meu carro foi cair justo naquele buraco e se acabou todo? Por que é que eu fui burro e em vez de fazer o seguro, fiz aquela mega festa de aniversario que deu em nada e o povo ainda saiu falando? O que é que falta ainda acontecer na minha vida? O que posso fazer para sair dessa e evitar esses acontecimentos em minha vida?

MÚSICA 3: CELESTIAL

SUA VOZ: Enquanto construo em sua mente O Novo Conceito, gradualmente o envio para o mundo, para que ele compreenda dentro dos seus limites e possibilidades. (Arnaldo se assusta). Na atmosfera das forças da Terra, eventos tremendos acontecem, movimentos se determinam, acentuam-se atrações e repulsões que resultam nas convulsões físicas, como as chuvas, terremotos, erupções vulcânicas que você está vendo, e morais, como a crise da igreja envolvendo a sexualidade reprimida dos seus representantes. Nada acontece por acaso, por que você atraiu a experiência de ter o carro destruído pelas chuvas?

ARNALDO: Por que atrai a experiência de ter meu carro destruído pelas chuvas?(3x) Sai.

CENA 2 – VITIMA DE TERREMOTO

MÚSICA 2: RÉVEIL

NARRADORA: Tâmara é uma brasileira que tinha residência fixa no Haiti. Ela trabalhava numa missão alfabetizando e cuidando de crianças. Em função do terremoto que destruiu Porto Príncipe, sua casa foi totalmente destruída e perdeu a maioria dos pertences, documentos, objetos de estimação e pessoas amigas.

TAMARA – Eu acredito na Lei de Causa e Efeito, mas não me conformo com o que aconteceu comigo. Não encontro explicação para estar vivendo este inferno. Eu contribuía de forma fundamental para a vida daquelas pessoas... Por quê? Por que não fui avisada? Por que meu Guia não me advertiu? Por que não tive um sonho? Uma Psicografia? Uma mensagem? Uma previsão do tempo, da NASA, do “escambau”? Um pressagio... Perdi tudo! Perdi minhas jóias, meu notebook, meus livros, discos, minhas referencias, obras de arte, alimentos, roupas, cremes... Nem meus documentos sei onde estão. Tinha comprado minha televisão recentemente... Ganhei aquela cafeteira há seis meses... Sinto-me sem chão. Sinto-me perdida. Perdi amigos também. Pessoas que eu sentia imenso carinho. O que ainda falta acontecer na minha vida? O que há por trás de toda essa loucura? Como vou reconstruir minha história?

MÚSICA 3: CELESTIAL

SUA VOZ – Poucas mentes têm a consciência da iminência dos novos tempos. A ciência está esmagada pela massa de material que acumulou. Está sedenta por uma síntese após ter se perdido no labirinto de tantas analises. A religião não satisfaz todas as suas duvidas. É insuficiente! O caos impera no mundo. Todos os padrões ultrapassados serão substituídos. A crise traz novas possibilidades. Não ficará “pedra sobre pedra” do que aí está. Para que tanto apego ao que está fadado a se tornar pó? O egocentrismo supera o coletivo. A psicologia corrente contém o germe da desagregação. Por que o sentido da sua vida se baseia principalmente em TER coisas?

TAMARA – Por que o sentido da minha vida se baseia principalmente em TER coisas? (3x) Sai.

CENA 3 – CATÓLICA FERVOROSA

MÚSICA 2: RÉVEIL

NARRADORA: Matilde é uma católica fervorosa. Nasceu, cresceu e até hoje moureja entre crenças, missas, terços, novenas, penitencias e princípios arraigados da supracitada religião. Nesse momento, encontra-se desolada em virtude da crise na igreja, por causa dos escândalos das denuncias dos abusos sexuais cometidos pelos padres contra crianças e adolescentes.

MATILDE – Isso só pode ser coisa do Demônio! O Inimigo usa o ser humano para fazer coisas horríveis. Os padres também são humanos e não devemos ficar surpresos por também cederem às tentações. Eles vivem no mundo e podem sucumbir como qualquer homem comum. Estão acabando com o Papa, meu Pai Celestial! E Ele é o representante legal de Jesus aqui na Terra. Ele é infalível e não merece essa judiação. Cristo também foi humilhado, judiado e agredido. Cristo ainda foi crucificado... O que será da minha igreja? O que será da minha religião? Vejo nos noticiários as coisas mais absurdas contra meus santinhos... Estão ridicularizando minha doutrina? Por que, Meu Deus, em que vou acreditar agora? Nunca vacilei na fé em minha igreja, mas agora... Estou em dúvida... Não sei o que fazer...

MÚSICA 3: CELESTIAL

SUA VOZ: A alma humana, entre uma ciência capenga e uma religião hipócrita, se arrasta feito larva, perdida, sem meta. O dinamismo do seu tempo não passa de uma corrida louca, apenas externa. Para onde você vai correr, se ignora os objetivos mais altos da sua vida? Para que serve correr e chegar se o ser humano violenta a si mesmo na pessoa do seu irmão e transforma a vida num inferno? Você corre para se atordoar, para não se sentir, para fugir da voz da própria alma... Quem foge do próprio silencio e da própria solidão, foge das grandes questões da própria alma. Do que tem medo? De ficar só, de se questionar, de se sentir só diante dos últimos problemas que ninguém sabe resolver e que a alma, mesmo assim, deseja saber? Tem medo dos grandes problemas do silencio, onde se ouvem os lamentos das culpas? Tem medo da profundidade em que reside “Deus”? Por que ainda insiste em se lançar para fora de si mesma, quando na verdade, o infinito está dentro de você? Por que ainda precisa de uma doutrina que a limita? Por que continua apegada a uma religião se o que a alma mais anseia é a ampliação espiritual?

MATILDE: Por que continuo apegada a uma religião se o que minha alma mais anseia é a ampliação espiritual? (3x) Sai.

CENA 4 – PASSAGEIRA DE AVIÃO

MÚSICA 2: RÉVEIL

NARRADORA – Cristiane é formada em Relações Internacionais e estava prestes a embarcar para Londres a fim de participar de um importante congresso. Ela é uma das congressistas. A crise no transporte aéreo, porém, atrapalhou seus planos e ela ficou impossibilitada de viajar, tendo que cancelar sua participação no importante evento que significaria muito para sua carreira.

CRISTIANE: Que ódio! Essa era a minha grande chance! Todos os grandes nomes das Relações Internacionais estão em Londres. Seria uma excelente oportunidade para eu me tornar conhecida... Maldito sistema aéreo! Tanto investimento! Tantos preparativos! Pra quê? Vou ter que processar alguém por esse transtorno. Alguém tem que me pagar por isso. Odeio esta vida! Por que isso está acontecendo comigo? Por que tudo está dando errado?

MÚSICA 3: CELESTIAL

SUA VOZ – No labirinto de complicações que você mesma criou, esqueceu a beleza e a paz das grandes verdades primordiais. Contenta-se com esse mundo fútil de aparências e futilidades burocráticas. Seus ancestrais conheciam as verdades primordiais através das revelações através da intuição e depois da dedução. E vocês tanto deduziram que desprezaram o método intuitivo, até que a dedução se perdeu em si mesma. Você perdeu suas “asas” e precisa de aviões. Vive se debatendo com as loucuras tecnológicas, as conveniências de uma carreira cheia de competições desleais e stress, e ainda perde tempo demais vivendo num mundo virtual. Por que baniu a beleza e a simplicidade da sua vida?

CRISTIANE: Por que bani a beleza e a simplicidade da minha vida? (3x) Sai.

CENA 5 – A DESEMPREGADA

MÚSICA 2: RÉVEIL

NARRADORA – Cinira foi demitida. Está desempregada. Quando trabalhava sustentava a família. Agora vive “à espera de um milagre” que a tire desse sufoco.

CINIRA – Seguro desemprego já tá acabando... FGTS foi só para pagar aquelas dividas antigas. Graças a Deus que eu paguei... Mas e agora? Como é que vou fazer para sustentar meus filhos? O que é que vou fazer para me sustentar? Será que Santo Expedito pode interceder por mim?

MÚSICA 3: CELESTIAL

SUA VOZ – A Lei de Deus prossegue no mesmo passo, acima das tempestades da sua vida e restaura o equilíbrio. Hoje Ela segura sua mão e lhe mostra o caminho. Diante dos acontecimentos supremos, os extremos da história se tocam e a intuição reabre para você as portas da verdade. Nos grandes momentos só a Lei te guia e Ela permanece atuando como no tempo das grandiosas criações. Se você atinge a meta através da Fé, é feliz. O mais amplo saber é pobre diante de um singelo ato de fé. A ciência está sufocada. As forças da evolução espiritual do mundo causam revoluções surpreendentes. A sua alma merece asas. Por que não usa a criatividade e muda de vida?

CINIRA- Por que não uso a criatividade e mudo de vida? (3x) e sai.

CENA 6 – VICIADA EM CRACK

MÚSICA 2: RÉVEIL

NARRADORA – Camila é viciada em crack. Sabe que a droga está acabando consigo, quer livrar-se dela, mas não consegue. Sempre cede quando o traficante a procura.

CAMILA – Eu não agüento mais. Sei que o crack está me destruindo e não tenho força alguma para lutar contra ele, para resistir. Ele é muito pior do que o baseado que eu costumava fumar. Eu conseguia ficar um dia sem fumar um, mas não consigo ficar duas horas sem fumar uma pedra. To sem dinheiro. Preciso arranjar uma grana para comprar mais... Não! Preciso sair dessa. Preciso redescobrir a vida! Só não tenho forças... Por que insisto em me destruir?

MÚSICA 3: CELESTIAL

SUA VOZ – É tempo de você redescobrir que um supremo pensamento desce do alto. Cultive a bondade e a retidão. Ame-se e não precisará fugir de si mesma. Seu instrumento psíquico está prestes a passar por uma importante transição. Ele está prestes a trilhar um caminho para o auto-conhecimento. Assim como a música, num templo, satura o local com harmonias acústicas e prepara o espírito para a conexão consigo e com as altas esferas, a harmonia dos conceitos e dos sentimentos trará tranqüilidade para as pessoas. A inspiração curadora substituirá a pesquisa racional. Os componentes da super-humanidade – do cientista ao artista, do mártir ao herói, do gênio ao santo serão aceitos e respeitados e iluminarão o mundo. A super-humanidade atingirá a maturação e isso te lançará ao encontro do Infinito. Por que viajar com o crack se seus chakras podem te levar muito mais longe?

CAMILA: Por que viajar com o crack se meus chakras podem me levar muito mais longe? (3x) e sai.

Fecham-se as cortinas.

CENA 7 – CULMINÂNCIA

Haverá seis cadeiras arrumadas diante do público. No meio delas, um facho de luz (Sua Voz). Arnaldo pega sua cadeira e a põe sob o facho:

ARNALDO – Por que atraí a experiência de ter meu carro destruído pelas chuvas?

SUA VOZ – MÚSICA 3: CELESTIAL

De nada vale viver o estereotipo do bonzinho, se internamente você ainda gera um campo magnético que demonstra o caos que é a sua vida. Você só perdeu o seu carro, porque criou todas as condições energéticas para que isso acontecesse. Mude seu padrão. Antes de ajudar o próximo, se ajude. Deixe de ser aquele que auxilia só para aparecer. Auxilie por amor, só por amor. Pense em quantas coisas e pessoas você já destruiu ao longo da sua caminhada com seu orgulho exacerbado, com seu egocentrismo, com a ilusão de achar dono da verdade, com sua prepotência, com seu mau-humor, com sua chatice de pontuar o tempo todo o que você julga como errado. A massa energética criada por todas essas sombras voltou contra você mesmo, acabando com seu carro. Mude de postura. Passe a construir de verdade e as coisas serão diferentes.

(Arnaldo acolhe silenciosamente o que lhe foi dito, volta para o seu lugar com sua cadeira e é a vez de Tâmara)

TAMARA – Por que o sentido da minha vida se baseia praticamente em Ter coisas?

SUA VOZ – MÚSICA 3: CELESTIAL

O alivio das suas dores não está apenas na posse e na realização de coisas, mas na ampliação de sua consciência e na pratica do amor consigo e com o outro. Sua casa caiu, sua identidade caiu. É sinal de que os alicerces internos precisam ser urgentemente revistos. Fortaleça sua base com amor. Fortaleça seus alicerces com maturidade. É chegado o tempo de que Ser passa a valer bem mais do que Ter. Ouça a voz que fala dentro de você. Essa voz sou Eu. Abandone as ruínas do que passou e construa nova morada interna e o externo se moldará ao que estiver dentro.

(Tâmara acolhe silenciosamente o que lhe foi dito, volta para o seu lugar com sua cadeira e é a vez de Matilde).

MATILDE - Por que continuo apegada a uma religião se o que minha alma mais anseia é a ampliação espiritual?

SUA VOZ – MÚSICA 3: CELESTIAL

Você tem medo de transcender ao conforto do conhecido. Tem medo de se rebelar e assumir a responsabilidade das suas próprias escolhas. Tem medo de errar e de se perdoar, tem medo de decidir seu caminho por si própria e arcar com todas as conseqüências que isso pode lhe trazer. Tem medo de deletar o “Programa Deus” e se reconhecer como Deusa. Tem medo de admitir que todo o poder atribuído a todos os seus santos, rituais, crenças, dogmas e elementos da sua doutrina são oriundos absolutamente da sua fé, partem diretamente de você. “Sonhos são como deuses. Quando não se acredita neles, deixam de existir”.

(Matilde acolhe silenciosamente o que lhe foi dito, volta para o seu lugar com sua cadeira e é a vez de Cristiane).

CRISTIANE - Por que bani a beleza e a simplicidade da minha vida?

SUA VOZ – MÚSICA 3: CELESTIAL

Por causa do seu complexo de inferioridade. Achou que se tornando uma mulher de negócios e complicando sua vida a ponto de viver estressada, só para fora, dedicando seu precioso tempo só para se tornar a mais forte competidora do mercado iria fazê-la realmente uma mulher poderosa. O verdadeiro poder está no exercício do não-poder. Está na simplicidade, nas coisas boas da vida, no estar à vontade, fazendo o que precisar ser feito sem esquecer que a qualquer momento tudo pode acabar. Aproveite seu dia. Pode ser o último.

(Cristiane acolhe silenciosamente o que lhe foi dito, volta para o seu lugar com sua cadeira e é a vez de Cinira).

CINIRA- Por que não uso a criatividade e mudo de vida?

SUA VOZ – MÚSICA 3: CELESTIAL

Porque você permitiu que castrassem sua criatividade. Porque preferiu negar seus poderes intuitivos e se fez escrava de uma sociedade medíocre que pratica leis e costumes emborcados. Basta querer sinceramente e com a força do seu coração que seus poderes serão despertados e sua vida será prospera e feliz. Está chegando o tempo em que o trabalho se tornará diversão e todos os que tenham boa vontade experimentarão a dádiva de edificarem um mundo melhor, por prazer. Está chegando a hora de substituir suas algemas por asas.

(Cinira acolhe silenciosamente o que lhe foi dito, volta para o seu lugar com sua cadeira e é a vez de Camila).

CAMILA: Por que viajar com o crack se meus chakras podem me levar muito mais longe?

SUA VOZ – MÚSICA 3: CELESTIAL

Porque você nunca teve coragem de ser você mesma e delegou às drogas o poder sobre sua pessoa. Porque é muito mais cômodo buscar a transcendência através de estimulantes externos do que voltar-se para seu interior e descobrir o inestimável tesouro que se esconde aí dentro. Porque o outro sempre viu sua sensibilidade aguçada com estranheza e desrespeito e você não teve força o suficiente para permanecer no caminho sagrado e assumir sua missão espiritual. É chegado o tempo do reconhecimento de todos os super-homens e super-mulheres. Exponham seus dons, poderes, profecias e habilidades em prol de si mesmos e do coletivo. Despertem os seus chakras e se assumam como Divindades.

(Camila acolhe silenciosamente o que lhe foi dito, volta para o seu lugar com sua cadeira).

MÚSICA 4: SINFONIA DA CANTATA

(Entra Sua Voz vestido de Cristo. Vai até a beira do palco).

SUA VOZ: EU SOU SUA VOZ. VOCE É SUA VOZ. TODOS SOMOS A VOZ DE TODOS. EM NOME DO MEU PODER, DO SEU PODER, DO NOSSO PODER, VAMOS ENCHER ESSE AMBIENTE DE ...

(JAILTON recebe das mãos dele a faixa escrita com a palavra FORÇA. Exibe a faixa para o público e pede para que ele repita o que será dito. Com “força”, ele diz a palavra escrita e todos repetem, enchendo o ambiente dessa energia).

(Assim será também com os demais, sendo que:

MARINICE receberá LUZ;

ALVIM – VERDADE;

MARILENE – VIDA;

CELUTA – PRAZER;

SORAYA – AMOR.)

MÚSICA 5 – ALEGRIA. JAIRON ESTIMULA A TODOS TROCAREM ABRAÇOS E CARINHOS.

(Não haverá debate).

2 comentários:

  1. Antonio, meu santo, tô com saudades de suas loucuras.

    ResponderExcluir
  2. Esses estudos dramáticos também fazem parte da minha loucura... Apenas constituem outra nuance do hospício da minha alma. Te amo.

    ResponderExcluir