Follow by Email

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Sete Ciganos - 4

À tarde, Margarida a procura, ainda que esteja cheia de receios, e é recebida por ela em seu quarto:

- Que bons ventos a tragam, Margarida! – Acolhe-a com um abraço carinhoso – Com está?

- Melhor, mas senti necessidade de dar uma olhada nas cartas.

- Já jogou alguma vez?

- Não. É a primeira.

- Quanta honra, a minha!

- Por quê?

- Porque é muito bom fazer parte dessa sua Iniciação. Um instante que vou preparar a mesa para o jogo.

Sofia estende um pano vermelho sobre a mesa. Sobre ele, coloca uma taça de cristal com água, uma bola de cristal, incenso, uma vela vermelha e três ametistas que formam um triângulo. Por fim, coloca o monte de cartas no centro.

- Pronto, minha criança. Venha.

Margarida se senta à mesa. A cigana lhe estende as mãos, ela lhas dá e em seguida ouve a evocação da cartomante:

- Em nome de Bel-Karrano, de Santa Sara e de todos os ciganos que me acompanham, dou por aberto esse trabalho para que haja mais luz, clareza, amor e sabedoria na vida da minha irmã Margarida. Que assim seja!

Soltam-se as mãos. Sofia pega o monte das cartas e o entrega à consulente:

- Toma teu destino em tuas mãos e embaralha para que possamos desembaralhá-lo.

A moça recebe as cartas e segue a consigna, concentrada. Ao terminar o ritual, repõe o monte na mesa.

- Muito bem, Margarida. Agora corte.

Margarida corta o montante em dois.

- Junte.

Ela o faz.

- E agora, minha menina, quer fazer perguntas específicas ou que as cartas falem?

- Prefiro que elas falem primeiro e se eu sentir necessidade, farei perguntas.

- Então vamos lá. Tire três cartas de onde quiser e coloque-as na mesa, viradas para baixo.

A primeira, ela tira de baixo e põe na mesa; a segunda, do meio e a última, de cima.

A cigana desvira as cartas:

- A primeira corresponde ao seu passado; a segunda, ao presente e a última, ao seu futuro. “O Escravo” rege o seu passado. Vejo muitas privações. Pensamentos, hábitos e crenças que lhe escravizaram e lhe fizeram abdicar da sua felicidade e matar seus sonhos. Esse passado é tão forte que estende sua influência até os dias de hoje. Você tem se sacrificado por muita gente e isso tem limite ou a corda pode quebrar de tão esticada.

“E aparece a carta da ‘Derrota’ no seu presente. Vejo solidão e abandono. Doença e provavelmente morte na família e isso pode inicialmente deixa-la no fundo do poço, mas será exatamente sua libertação, pois a partir daí, você começará uma nova vida.”

“No seu futuro surge ‘A Vingança’, uma das melhores cartas do jogo. Significa triunfo e uma grande virada no seu destino que só acontecerá com sua permissão. Será a oportunidade de ouro de você enterrar todo o passado e viver feliz. Agarre-a com unhas e dentes.”

- Impressionante! Meu passado foi exatamente isso que você viu! Acho que essa morte é a do meu pai... Ô meu Deus! Mas não quero pensar nisso agora. Posso fazer algumas perguntas?

- Claro que pode. Reúna as três cartas às outras, embaralhe-as, corte-as, junte-as e aí para cada pergunta tiraremos uma carta.

Mais concentrada ainda, Margarida faz o que foi orientado:

- Que quer saber, filha?

- Tenho 19 anos e nunca namorei. Sou feia e desmazelada. Sei que não atraio ninguém, mas dentro dessa virada que eu vou dar no futuro, existe a possibilidade de um casamento?

Sofia tira uma carta e ao vê-la, sorri e a põe na mesa:

- É claro que existe. Saiu “O Sol”, menina. Alguém que vem de longe a ajudará a se aproximar de um homem bom e bonito. Ele virá formoso, com uma ferida na alma, mas vestido de sol. Ele lhe auxiliará a reconhecer sua verdadeira beleza. Vejo muita felicidade.

- Que bom, cigana! É... Com relação ao meu trabalho, eu não agüento mais aquele mercado. É uma escravidão. Tem possibilidade de melhora nesse sentido para mim?

Sofia tira a carta “A Vitória”:

- Tem sim. Vejo você tendo seu próprio negócio, junto com seu futuro marido.

- Acho isso tão distante de mim.

- Então comece a chamar para perto, pois está em seu destino.

- Tire uma para minha saúde.

Sofia tira “O Vento”.

- Vejo certa instabilidade em função de problemas emocionais que vêm se arrastando ao longo dos anos, mas não é nada preocupante, se você se tratar e acalmar os nervos, vai passar logo.

- Bom, não tenho mais nada a perguntar. Estou satisfeita.

- Quer que eu tire só mais uma que pode lhe trazer uma mensagem importante?

- Quero.

Sofia tira a carta “O Casamento”.

- Você só será feliz no amor se casar consigo mesma e se amar-se mais do que a qualquer pessoa. Aprenda a se amar e será feliz. Fará um bom casamento e terá dois filhos. Um casal.

- Que ótimo!!! Já me sinto bem melhor.

- Tenho um presente para você – Sofia se levanta, vai à bagagem e pega um frasco transparente de 60 ml. Volta à mesa e o entrega a Margarida. – É um perfume.

Ela recebe o regalo, abre-o e cheira:

- Hum! Que delícia!

- É benjoim. Ótimo para abrir os caminhos para o amor. Use-o diariamente e o aroma vai desperta-la para o amor-próprio e consequentemente você desenvolverá o poder de atrair seu homem.

- Obrigada, Sofia.

- Obrigada, Margarida.

A consulente paga à cartomante e se despedem.



6 comentários:

  1. Que tipo de baralho é esse? Jogo o Baralho Cigano e não reconheci algumas cartas que você mencionou.

    ResponderExcluir
  2. Jogo o Baralho Mágico Cigano. Há algumas cartas diferentes do Tradicional, que deve ser o que você joga.

    ResponderExcluir
  3. lembrei do tempo em que tudo o que eu queria eu antes ia no baralho, hoje não faço mais isso, sou mais cauteloso... Sinto que preciso voltar a jogar denovo.

    ResponderExcluir
  4. Uma vez cartomante - SEMPRE cartomante.

    ResponderExcluir