Follow by Email

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Sete Ciganos - 26



Os ciganos passam horas conversando e depois vão à casa de Eulália e Joventino que combinaram com Gilberto de fazer uma sopa para celebrar o breve regresso de Sofia e a chegada de Shalom.
Ao chegarem à casa dos amigos, são recebidos com calor e emoção:
- Não pensei que a veria tão cedo, mulher – fala Eulália a Sofia abraçando-a.
- Coisas da vida, minha amiga. Esse é Shalom Carín, pai de Gilberto.
- Muito prazer, cigano. Seja bem-vindo a minha casa.
- Encantado, senhora – Shalom a cumprimenta carinhosamente. – É um prazer conhecê-la.
- O prazer é meu. Esse é meu marido, Joventino.
- Muito prazer, Sr. Joventino – estende a mão para o velho que a aperta firme.
- Seja bem-vindo, Shalom. A casa é sua.
Joventino abraça Sofia docemente e chora emocionado. Eulália cumprimenta o padre e Sofia abraça Margarida que tem os olhos cheios d´água e ri cheia de alegria:
- Como vai, minha amiga? – Pergunta-lhe Sofia.
- Muito feliz... Mais agora.
Todos se cumprimentam e vão para a sala. Margarida e Eulália servem vinho e uns petiscos. A conversa rola solta e descontraída.
Momentos depois, a sopa de legumes é servida, causando deleite aos convivas.
- Nunca tomei uma sopa de legumes tão saborosa! – Exclama Shalom.
- Bondade sua, Shalom – diz Eulália.
- Verdade. Só elogio quando sinto realmente – diz o visitante.
Sofia lhes conta como se encontrou com Shalom.
- Só não sei como vamos achar os outros – fala Sofia.
- Assim como o destino uniu vocês dois, vai reunir os outros cinco a vocês – profetisa Joventino.
Depois Eulália serve um delicioso café com carne de sertão e aipim.
Na cozinha, Margarida, Eulália e Sofia lavam e secam a louça, enquanto os homens conversam na sala:
- Como vão você e Orlando, Margô? – Indaga Sofia.
- Estamos felizes e em breve faremos um filho.
- Que bom! E a senhora, Dona Eulália?
- Me chame de você, minha filha. Que negócio sem graça! Eu continuo na minha vida com meu velho, vivendo cada dia. E você?
- Vendo as coisas acontecerem para decidir minha vida.
- E quanto ao padre Gilberto? – Questiona Eulália e as três riem.
- É um homem e tanto! Mas nossos caminhos já se desencontraram.
- Shalom é bonito! – Exclama Eulália.
- O que quer insinuar, feiticeira? – Pergunta Sofia.
- Que ele gosta de você e que você gosta dele.
- É verdade, mas tudo chega com o tempo.
Finalizado o encontro, despedem-se afetuosamente e Eulália pergunta a Sofia:
- Quando pretendem ir?
- Amanhã. Shalom tem coisas a fazer em Amargosa.
- Que pena! Pensei que demorariam mais!
- Vai haver a oportunidade de ficarmos juntos por mais tempo – consola-a Shalom.
- Com certeza!
Eles se vão e os demais acenam.
Chegando à casa de Gilberto, ele prepara um chá e os três tomam na varanda dos fundos:
- A que horas vocês irão amanhã?
- Bem cedo – responde Shalom.
- Queria que ficassem mais tempo!
- Eu também, Gilberto – reitera Sofia – mas não vai dar.
- Vamos fazer o seguinte: sempre diremos a você onde estaremos e aí quando você puder, irá ao nosso encontro – sugere Shalom.
- Boa ideia! – exclama o padre.
-Você sempre será muito bem-vindo – fala Sofia.
- Sinto falta de saber coisas sobre meus avós ciganos e meus parentes, Shalom. Pode me contar alguma coisa?
- Deixe-me ver – Shalom vasculha na memória e encontra um registro: a história de seus avós é muito bonita.
- Verdade?! Então me conta – diz Gilberto com um brilho infantil nos olhos...

3 comentários:

  1. Seja bem vindo de volta!!!!!!!E ainda por cima com a participação de Johnny Depp, hahahaha. Bjos.

    ResponderExcluir
  2. Em alto estilo, irmã (risos). Seja bem vinda também. Divirta-se com Os Filhos dos Ventos.

    ResponderExcluir
  3. Lindo, o reencontro entre Shalom e Gilberto!

    ResponderExcluir